sábado, 21 de maio de 2016

Lição 09 - Ídolos da Alma e Outras Lições de Jesus

(Mateus 18-20) 

Introdução: Jeffrey Brauch, ex-reitor da Faculdade de Direito da Regent University, é um dos homens mais incríveis que conheci. Quando conversávamos, seu foco parecia estar sempre em mim. Quando converso com outras pessoas, lamento que meu foco, geralmente, pareça estar em mim. Tenho certeza que Jeff é assim mesmo com os outros - seu foco fica sobre eles. Jeff vive o que Mateus ensina nesta semana: viver uma vida solidária. Vamos nos aprofundar em nossa lição e aprender mais! 

I. Crianças 

A. Leia Mateus 18:1-4. Quem tem a opinião mais definida sobre educação dos filhos: pais com mais de dois filhos ou as pessoas que não têm filhos? 

1. As crianças que você conhece são, naturalmente, egoístas? Elas têm preferência por si próprias, acima de outras pessoas? (Pelo que tenho visto, crianças nascem no pecado, como todos nós.)

2. Se isto for verdade, sobre o que Jesus estava falando?

B. Releia Mateus 18:1. Por que alguém iria querer ser o maior em um reino? (Para poder governar sobre os outros.)

1. E quanto as crianças, existe diferença? (Crianças pequenas são muito dependentes. Mesmo que tenham maus hábitos, por exemplo, serem egoístas, elas precisam de ajuda e, elas sabem disso.)

C. Veja, novamente, Mateus 18:4. Então, o que Jesus estava falando, com respeito ao desenvolvimento do nosso caráter? (Que devemos, humildemente, depender dEle - do mesmo modo que uma criança depende de seus pais.)

D. Leia Mateus 18:5-6. Como isso está relacionado ao que Jesus apontou quanto as crianças serem dependentes? (Pelo fato de serem dependentes, os adultos têm obrigação de se certificarem que as crianças sejam tratadas e ensinadas adequadamente, em nosso círculo de influência.)

II. Pecado

A. Leia Mateus 18:7. Você já ouviu alguém que lucra com o que é errado dizer: “Se eu não fizer, outra pessoa vai fazer. Posso muito bem ser aquele que ganha dinheiro com isso.”?

1. Qual foi a resposta de Jesus para isso? (“Ai de vós! O mal vai acontecer mas é melhor que não seja através de você.)

B. Leia Mateus 18:8-9. O pecado tem início com sua mão, seu pé ou seu olho? (Não, ele começa na mente.)

1. Então, como entender o que Jesus estava dizendo? (Jesus estava salientando quão grave é o pecado. As pessoas pecam porque percebem alguma vantagem nisto. Jesus disse que seria melhor perder alguma coisa importante, para não pecar.)

C. Leia Mateus 18:10. Jesus deixou Seus comentários e passou a falar, novamente, sobre crianças? (Jesus continuou com o mesmo tema. Eventualmente, as crianças encontrarão o pecado mas, é melhor que não seja através de você.)

D. Leia Mateus 18:12-14. Provavelmente, você  já ouviu a parábola das noventa e nove ovelhas e daquela que se perdeu. O que Jesus estava apontando nessa parábola, com respeito das crianças? (Em muitas culturas, a criança não tem valor e, em outras, elas são usadas. Jesus nos ensinou que cada uma delas tem grande valor.)

E. Leia Mateus 18:15-17. Qual é o objetivo de tratar  as diferenças e os problemas dessa forma? (O objetivo é levar a pessoa a ouvir a voz da razão.)

1. O que significa tratar alguém como “pagão ou publicano”?  

a. É correto tratar os pagãos de forma diferente? 

III. A Igreja 

A. Leia Mateus 18:18. Já discutimos a questão dos conflitos dentro da igreja. Quão importante são as decisões tomadas pela igreja?

B. Vamos voltar e ler Mateus 16:18-19. Há pouco tempo atrás, quando estudamos sobre esse tema, elevei isso a um nível espiritual, dizendo que aquelas pessoas que entenderem que Jesus é Deus e O aceitarem, ficarão “livres” {lição 08:III-C, estarão liberados para viver a vida eterna} e quem O rejeitar estará “desligado” do céu {lição 08:III-C, estará ligado à morte eterna}. Eu estava errado? (Esse novo contexto mostra que eu não iria longe o suficiente na prática dessa aplicação.   Jesus nos disse que na Terra foi dada autoridade espiritual para a igreja.)

1. Até que ponto foi dada essa autoridade à igreja? A igreja pode mudar o dia da adoração?  A igreja pode trocar Jesus por outro mediador? (O contexto de Mateus 18 se refere à disputa entre membros da igreja.)

C. Leia Mateus 18:19-20. De que tamanho deve ser a igreja para receber esse tipo de autoridade que estamos discutindo? Será que uma igreja com dois membros já basta?

1. Relaxe e contemple esses textos. Para você, o que, essencialmente, Jesus assinalou? (O céu funciona através de nós. Deus nos delega autoridade.)

2. Será que isso tem alguma coisa a ver com a discussão de Jesus, a respeito de crianças? (Jesus nos ensinou a ser humildes e dependentes dEle, o que nos informa a extensão de nossa “autoridade” aqui, já que ela deve estar de acordo com Sua vontade revelada. Isto quer dizer que a igreja não deve ficar emitindo decretos que contradizem os ensinamentos fundamentais de Deus. Nós temos autoridade para passar os ensinos de Deus e precisamos ponderar cuidadosamente como iremos utilizar essa autoridade.)

IV. Perdão 

A. Leia Mateus 18:21-22. A única maneira de termos certeza do resultado de setenta vezes sete é se mantivermos um registro. Foi isso que Jesus recomendou? 

B. Leia Mateus 18:23-30. Qual seria sua reação se um homem que lhe deve milhões não perdoasse a quem deve a ele uma pequena quantia em dinheiro?

C. Leia Mateus 18:31. Os observadores ficaram aflitos, assim como você! Se por causa de uma pequena dívida o sujeito não perdoou sete vezes, tampouco perdoaria setenta vezes sete?

D. Leia Mateus 18:32-33. De acordo com o senhor, qual era o problema? (Misericórdia. Não foi considerada a ordem de Jesus de que é preciso ter misericórdia com aquelas pessoas que buscam perdão.)

1. Qual é o ponto de referência para o perdão, em sua vida? (Jesus morreu em seu lugar por causa dos seus pecados. Seus pecados são contra Deus. Somos afetados pelo pecado mas, transgredir a lei de Deus é pecado contra Ele. Somos os servos que têm sido perdoado “milhões de vezes”.)

E. Leia Mateus 18:34-35. O que Jesus estava advertindo?

1. O que significa “perdoar de coração a seu irmão”?

V. Casamento

A. Leia Mateus 19:3-6. Jesus acreditava no relato da criação? (Ele acreditava tão firmemente, que baseava suas conclusões espirituais nela.)

B. Leia Mateus 19:7-9. Você acha que foi acidentalmente que a discussão sobre casamento seguiu-se, de imediato, à discussão sobre perdão?

1. De que modo a discussão sobre casamento molda   o nosso entendimento sobre perdão? (Se um cônjuge sempre perdoasse o outro não teríamos divórcios. Isso nos mostra que a misericórdia foi instituída no plano de Deus, tanto para o casamento quanto para a vida.)

2. Um cônjuge poderia perdoar “de coração” a infidelidade do outro cônjuge mas, ainda assim, divorciar-se pela infidelidade? (Sim. Perdoar não quer dizer abandonar o bom senso.)

C. Leia Mateus 19:10. Mais adiante, neste capítulo,  Jesus disse que seria difícil um rico ser salvo. Leia Mateus 19:25. O que os discípulos de Jesus achavam dos Seus ensinamentos? (Os discípulos estavam surpresos pois não lhes parecia certo, já que os ensinos não se encaixavam no entendimento que tinham sobre a vontade de Deus.)

D. Leia Mateus 19:11-12 (casamento) e Mateus 19:26 (riqueza). Qual foi a sugestão de Jesus para ensinamentos difíceis de compreender e seguir? (Que Deus irá trabalhar conosco para fazer com que aquilo que é, aparentemente, impossível torne-se possível.)

VI. Salário 

A. Leia Mateus 20:1-12. Você concorda com aqueles que reclamavam? Coloque-se no lugar dos que trabalharam o dia todo!

B. Leia Mateus 20:13-16. Se Jesus estava nos dando uma lição sobre o Reino de Deus e não sobre salário, o que podemos aprender com isso? (Deus não está procurando apenas por justos. Ele o é. Ele é mais do que justo. Ele nos dá o que merecemos e muito mais. Ele torna possível o impossível.

C. Deus se preocupa com você, meu amigo. Ele se preocupa com as crianças, pois elas são dependentes.   Ele nos convida para sermos bênçãos para outras pessoas, ao invés de ficarmos buscando apenas o que achamos ser justo.

VII. Na próxima semana: “Jesus em Jerusalém”

Tradução: Denise de Mesquita

**********************************

Direito de Cópia de 2016, por Bruce N. Cameron, J.D. Todas as referências das Escrituras são da Bíblia de Estudo na Nova Versão Internacional (NVI), editada em 2003 pela Editora Vida – São Paulo, a menos que indicado de outra forma. As citações da NVI são usadas com permissão. As respostas sugeridas encontram-se entre parênteses. As frases entre chaves { } foram acrescentadas pelo tradutor e não constam no original. Ore pela direção do Espírito Santo enquanto estuda.

Se você costuma receber esses comentários por e-mail mas, em alguma semana, houve  falha ou extravio do recebimento, você poderá encontrá-los clicando neste link: 

Estes comentários referem-se às Lições da Escola Sabatina, publicadas em Português pela Casa Publicadora Brasileira, cujo original pode ser encontrado semanalmente em "http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2016.html


**********************************

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Lição 08 - Pedro e a Rocha

(Mateus 16 e 17) 

Introdução: Você já esteve numa situação em que a solução do problema estava bem a sua frente mas, de alguma forma, você não conseguia enxergá-la? Alguém chega, lhe aponta a solução, e você não consegue acreditar que não conseguia enxergar o óbvio! Nosso estudo em Mateus, nesta semana, ilustra esse tipo de situação com pessoas que cruzaram com Jesus. Vamos estudar a fundo e aprender mais, para evitar que fiquemos distraídos ou despreocupados com o que acontece a nossa volta e, assim, evitarmos correr o risco de perder o óbvio espiritual!  

I. O Sinal

A. Leia Mateus 16:1. Jesus realizou todos os tipos de milagres. Naquele momento, ele deveria realizar outro milagre? (Embora eu pense que os milagres de Jesus tiveram efeito para confirmar quem Ele era, textos, como esse de Mateus 14:14, nos dizem que os milagres realizados por Jesus foram motivados pela compaixão. Aqueles líderes religiosos estavam, apenas, “testando” Jesus.)

B. Leia Mateus 16:2-3. Qual era o problema com os líderes religiosos? (Eles ignoraram o óbvio: que Jesus estava cumprindo a profecia.)

1. Será que somos como aqueles líderes religiosos? Ignoramos o que a Bíblia diz e como devemos aplicá-la em nossa vida e, em vez disso, pedimos um sinal especial para Jesus? 

C. Leia Mateus 16:4. Jesus disse que lhes seria dado o “sinal de Jonas”. O que você acha que isso quer dizer?  (A resposta mais sofisticada e obscura é que Jonas desceu às águas e ressurgiu para a vida, quando o peixe o cuspiu fora (Jonas 2). Jesus desceu à terra e ressuscitou para a vida eterna. A resposta mais óbvia é que os eventos ordenados por Deus superaram Jonas e surpreenderam aqueles líderes religiosos. Rejeitar Jesus levou à destruição de Jerusalém.)

II. O Pão

A. Leia Mateus 16:5-11. Por que Jesus queixou-se da falta de fé dos discípulos, e não, de sua falta de inteligência? (Não haveria problemas se o que tivessem que enfrentar fosse a falta de pão - eles tinham acabado de ver aqueles milagres. Contudo, eles assumiram que a questão para Jesus tinha a ver com a falta de pão.)

1. Quando enfrentarmos escolhas difíceis, devemos sempre levar em consideração a possibilidade de que Jesus não irá nos ajudar?  

B. Leia Mateus 16:12. Por que Jesus usaria a palavra “fermento” para representar os ensinamentos dos líderes religiosos? (Levítico 2:11 proíbe o uso de fermento (levedura) ao fazer qualquer oferta a Deus. O Dicionário Bíblico New Unger comenta que o fermento causa “desintegração e corrupção, que simboliza o mal e a energia do pecado”. Você não vai querer que seus ensinos sejam descritos dessa maneira!)

III. A Rocha

A. Leia Mateus 16:13-14. Essas respostas o desanimariam, se você fosse Jesus?

B. Leia Mateus 16:15-18. Esse texto é muito discutido. Sobre o que Jesus edificaria Sua igreja? (Jesus disse que Ele iria edificá-la em Pedro.)

1. Você não teria certeza dessa resposta se eu lhe dissesse que Pedro significa “rocha”? Se Pedro significa “rocha”, então, ao que Jesus estava se referindo, quando falou sobre construir a igreja sobre a rocha? (Parece difícil dar tanto crédito à resposta, “Pedro”, porque Jesus disse que a resposta certa foi dada “por meu Pai no céu” - não, Pedro. Talvez devêssemos concluir que a rocha, sob a qual a igreja é edificada, são aqueles indivíduos (que assim como Pedro) falam o que Deus lhes tem revelado.)

2. Qual foi a revelação dada a Pedro? (Que Jesus é “o Filho do Deus Vivo”.)

3. Espere! Será que vai mudar sua maneira de pensar quanto ao que Jesus quis dizer com “a rocha”, sobre a qual Ele vai construir Sua igreja? Não se trata, meramente, daquelas pessoas através das quais o Espírito Santo dá compreensão, mas, ao invés disso, trata de entender o ponto espiritual mais importante – que Jesus é Deus. Ele é o Messias. Ele é o “Filho do Deus Vivo”. A igreja de Jesus será edificada sobre aqueles indivíduos cheios do Espírito, que entendem que Jesus é Deus.)

4. Você sabe que, frequentemente, eu insisto que você considere o contexto, sempre que tentar entender o significado de um texto. O que Mateus veio fazendo ao longo de seu evangelho? (Provar que Jesus é o Messias, que Jesus é Deus.)

a. Como isso dá uma “cutucada” em nossa compreensão de rocha? (Mateus não estava promovendo o progresso de Pedro mas, a divindade de Jesus. Esse foi um outro elemento da prova que diz respeito ao que Jesus quis dizer aqui.)

C. Leia Mateus 16:19. Jesus estava voltando o julgamento para os discípulos que, pouco antes, não conseguiram nem mesmo descobrir uma parte significativa e perceptível de saber se Ele estava falando de pão? (Espero que não! Se “rocha” é a compreensão, cheia do Espírito, de quem é Jesus, então podemos ver que todo aquele que aceita essa compreensão fundamental está liberado para viver a vida eterna e, aqueles que rejeitarem esse entendimento ficam ligados à morte eterna.)

D. Leia Mateus 16:20. Por que foi dito para não compartilhar esta notícia essencialmente importante? (Por que não era o momento certo. Em nossos esforços evangelísticos precisamos ouvir o Espírito Santo, quanto ao momento certo para compartilhar.)

IV. A Repreensão

A. Leia Mateus 16:21-23. Em um momento, Deus esteve falando através de Pedro e, no momento seguinte, Pedro falava por satanás. Será que isso parece correto? (Leia Tiago 3:10-12. No passado, eu entendia, através de Tiago, que isso não era possível. Pedro mostrou que é possível – e, francamente, sou grato pelo relato de Mateus que nos mostra, quão frequentemente, emitimos mensagens contraditórias. Mas, Tiago estava certo ao dizer que “não convém que isto se faça assim”.)

1. Releia Mateus 16:23. Quando Jesus disse para Pedro que ele tinha em mente “só as coisas que são dos homens”, que coisas eram essas?

2. Foi errado concluir que “o Filho do Deus Vivo” não poderia ser morto? (Pedro queria que Jesus fosse o Messias que iria governar e, Jesus sabia que Ele era o Messias que iria morrer por Seu povo.)

B. Leia Mateus 16:24. Isso parece sombrio para você? Quem quer fazer isso? (Lembre-se que o contexto é importante. Aqui, a declaração de Jesus foi forte, porque Ele quis dissuadir os discípulos da visão que eles tinham sobre poder terreno.)

C. Leia João 15:10-13. Essa é uma outra discussão sobre “desistir” mas, no contexto de “regozijo”. Como você explica isto? (Obediência a Deus envolve desistir do nosso próprio caminho de egoísmo. Porque Deus sabe o que é melhor para nós e isso traz alegria.)

V. A Recompensa

A. Leia Mateus 16:25-27. Você concorda? (Um sinal de maturidade é sacrificar-se, agora, para receber, mais tarde, uma grande recompensa. O que sacrificamos agora, não pode ser comparado com a glória eterna que iremos desfrutar.)

B. Leia Mateus 16:28. Jesus estava enganando os discípulos? Passaram-se milhares de anos e Jesus não veio! (Muitas pessoas tentam dizer que Jesus não estava falando de Sua Segunda Vinda mas, os versículos imediatamente anteriores nos dizem que é sobre isso que Ele falava.)

C. Leia Mateus 17:1-5. Como você chamaria esse evento? (Não seria um prenúncio da Segunda Vinda de Jesus? Isso não foi o poder do céu sendo visto por alguns discípulos? O contexto mostra o que Jesus quis dizer, quando falou para alguns de Seus discípulos, que “alguns há, dos que aqui estão, que não provarão a morte até que vejam vir o Filho do homem no seu reino”.) 

VI. Escandalizando

A. Leia Mateus 17:24. Que problema você acha que Pedro considerou, ao responder essa pergunta? (Se Jesus pagaria Suas obrigações religiosas.)

B. Leia Mateus 17:25. Que problema, sugeriu Jesus, era a essência da questão? (Que Jesus era o Filho de Deus – uma vez que se tratava de um imposto do templo.)

C. Leia Mateus 17:26-27. Jesus deveria ter se comprometido com a questão sobre quem Ele era? Não acabamos de determinar qual era a questão mais importante para os homens?

1. Por que o assunto sobre “escândalo”, uma vez que estamos discutindo sobre a essência do cristianismo? Não seria pior comprometer-se? (Jesus não comprometeu a essência. Quem pode pescar um peixe com o valor exato de um tributo, em sua boca? Ao mesmo tempo, Jesus salientou algo importante: que não devemos ofender pessoas que estão apenas fazendo seu trabalho.)

D. Amigo, parece que os discípulos, frequentemente, perdiam o óbvio. Os líderes religiosos perderam o aspecto óbvio. Jesus nos disse que o Espírito Santo irá revelar o óbvio para nós. Você vai pedir, agora mesmo, que o Espírito Santo lhe dê entendimento espiritual?

VII. Na próxima semana: “Ídolos da Alma e Outras Lições de Jesus”

Tradução: Denise de Mesquita

**********************************

Direito de Cópia de 2016, por Bruce N. Cameron, J.D. Todas as referências das Escrituras são da Bíblia de Estudo na Nova Versão Internacional (NVI), editada em 2003 pela Editora Vida – São Paulo, a menos que indicado de outra forma. As citações da NVI são usadas com permissão. As respostas sugeridas encontram-se entre parênteses. As frases entre chaves { } foram acrescentadas pelo tradutor e não constam no original. Ore pela direção do Espírito Santo enquanto estuda.

Se você costuma receber esses comentários por e-mail mas, em alguma semana, houve  falha ou extravio do recebimento, você poderá encontrá-los clicando neste link: 

Estes comentários referem-se às Lições da Escola Sabatina, publicadas em Português pela Casa Publicadora Brasileira, cujo original pode ser encontrado semanalmente em "http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2016.html

**********************************

sábado, 7 de maio de 2016

Lição 07 - Senhor de Judeus e Gentios

(Mateus 14 e 15) 
Introdução: Existe uma crença comum de que os homens não compreendem as mulheres. Esta idéia pode ter começado pelas mulheres! Existem pessoas que você não consegue entender? E aquelas que você entende, você consegue entendê-las o tempo todo? Entender Deus é uma das razões para se estudar a Bíblia. Acho que um dos motivos pelo qual Mateus escreveu o material que estudaremos na lição desta semana é ensinar-nos a confiar em Deus, mesmo que não se consiga entender Suas decisões. Vamos mergulhar em nosso estudo e aprender mais!  

I. A Morte de João Batista

A. Leia Mateus 14:6-11. Qual foi a causa da morte de João? (O show de ousadia, a imaturidade e a preocupação para não ser humilhado de Herodes. As maquinações de Herodias e a raiva por ter sido repreendida por João, por causa de sua união imprópria (veja Mateus 14:3-5). Tudo isso amarrado a uma dança lasciva, da filha de Herodias.)

1. Se você amasse João, se tivesse sido seu discípulo, sua morte teria sido um golpe terrível. O que as circunstâncias acrescentariam em sua reação?

B. Leia Mateus 14:12. Por que os discípulos de João foram até Jesus?

1. Será que eles achavam que Jesus deveria ter ido em auxílio de João? (Discutimos, há duas semanas, que João Batista, provavelmente, mandou perguntar por que Jesus não fora ajudá-lo.)

C. Leia Mateus 14:13. Por que Jesus procurou ficar algum tempo sozinho, depois de ter ouvido a notícia sobre a morte de João? (Ele foi afetado negativamente, por causa da notícia. Talvez Ele estivesse pensando que o episódio confirmava que Ele iria morrer nas mãos dos romanos. Talvez fosse apenas tristeza, porque seu primo estava morto.)

D. Leia Mateus 14:14. Você teria feito isso se fosse Jesus? (Imagino que eu estaria cuidando do meu próprio sofrimento e emoções. Mas, vemos que Jesus estava mais preocupado em ajudar os outros.)

II. Alimentação 

A. Leia Mateus 14:15-17. Essa é a resposta que você daria?

1. Releia Mateus 14:14. De acordo com esse contexto, era essa a resposta que os discípulos deveriam ter dado? (Eles não estavam considerando o panorama geral. Eles não estava confiando no poder de Jesus. Eles confiaram naquilo que eles possuíam.)

B. Leia Mateus 14:18-21. Qual foi a importância da participação dos discípulos nesse milagre?

1. Você precisa ter uma fé perfeita para se envolver num milagre? (Obviamente não. Está claro que essa é uma grande notícia.)

2. Releia Mateus 14:16-17. Jesus estava esperando os discípulos para realizar esse milagre?

3. Como Jesus realizou esse milagre - alimentou 15.000 pessoas, com cinco pães e dois peixes? (Veja, novamente, Mateus 14:19. Ele olhou para o céu, deu graças e começou a partir o pão.)

C. Leia Mateus 14:22. Isso é estranho - “Jesus insistiu com os discípulos para que entrassem no barco”. Por que eles não queriam ir? (Leia João 6:14-16. Aqui temos a resposta. O relato paralelo de João revela que as pessoas, vendo o grande milagre, decidiram fazer, de Jesus, seu rei. Não há dúvida que os discípulos disseram: “Uau, vamos fazer isso! Seremos assistentes de Jesus no novo reino!”)

III. A Tempestade

A. Leia Mateus 14:23-24. Será que o problema dos discípulos com o vento refletia suas atitudes - eles, simplesmente, não estavam fazendo progresso na vida? 

B. Leia Mateus 14:25. O que é a “quarta vigília da noite”? (De acordo com o Comentário de Adam Clark, fica entre 3 e 6 horas da manhã.)

1. O que isso diz a você sobre o tamanho da dificuldade que os discípulos tiveram com o vento? (Desde o jantar eles haviam progredido muito pouco.)

2. O que você acha do humor dos discípulos? (Eles estavam descontentes por não terem conseguido fazer com que Jesus se tornasse seu rei. Eles estavam frustrados com a tempestade.)

3. Por que Jesus andou sobre as águas para vê-los? 

C. Leia Mateus 14:26. Você acha que Jesus esperava essa reação? (Eu duvido. Ele foi confortá-los e, não, assustá-los.)

D. Leia Mateus 14:27-31. Você diria que Pedro teve “pouca fé”?

1. Comparando a quem? Aos discípulos no barco?  

2. Por que Mateus incluiu essa história, entre tantas outras? (A morte de João pareceu derrota para as pessoas que não pertenciam ao grupo. Os discípulos de Jesus foram desencorajados. Mateus contou essas histórias para ter argumentos contra o desânimo. Ele nos mostrou que Jesus tinha poder para fazer milagres, habilidade para convencer aqueles que queriam torná-lo rei e autoridade sobre a gravidade e condições atmosféricas. Acho que o ponto é que Jesus escolheu quando intervir, e não lhe faltou autoridade para intervir.)

E. Leia Mateus 14:32. Por que não andar pela praia? (Jesus estava focado naqueles que estavam no barco.)

F. Leia Mateus 14:33. Naquele momento, os discípulos mostraram fé. Jesus tinha ido até eles e mudou totalmente seu humor. Será que Jesus vai fazer isso por você? Será que Ele irá até você, no momento em que você estiver desanimado e frustrado, para lhe mostrar Seu poder?

1. Muitas pessoas negam que Jesus é Deus. Dizem que Ele foi apenas um “bom homem”. O que isso diz sobre essa pessoas? (Elas não sabem nada sobre a Bíblia. A Bíblia faz uma afirmação muito clara de que Jesus é Deus.)

G. Leia Mateus 14:34-36. Jesus estava decidindo quem deveria ou não ser curado? (Não.)

1. Por que não? (Começamos o capítulo com Jesus decidindo se deveria ajudar João. Terminamos com a cura para, todos aqueles que vão até Jesus.)

IV. Tradição

A. Leia Mateus 15:1-6. Esse é um outro exemplo em que parece que Jesus respondeu a uma acusação de transgressão, dizendo: “Vocês, também, são transgressores!” Era isso o que, realmente, Jesus estava dizendo? (O líderes religiosos alegaram a violação de sua “tradição”. Jesus respondeu dizendo que sua tradição era uma coisa suspeita. A palavra de Deus foi anulada em, pelo menos, alguns aspectos.)

B. Leia Mateus 15:7-9. O que Isaías profetizou a respeito dos problemas com o povo de Deus? (Que eles seguiam as regras ensinadas pelos homens, ao invés de seguir as regras de Deus. Eles não tinham o “coração” honrado.)

1. Francamente, acho que os discípulos deviam lavar as mãos antes de comer. Por que tanta resistência por parte de Jesus? (Esse é um ponto importante. Há uma abundância de boas idéias. A questão é se estamos focados nas “boas idéias” ou nas exigências de Deus.)

C. Leia Mateus 15:10-11. Jesus mudou de assunto? (Não. Ele chamou a multidão para fazê-la entender sua mensagem acerca da controvérsia da lavagem das mãos.)

1. Qual foi a mensagem de Jesus? (O que saiu da boca dos líderes religiosos eram críticas e, isso era bem pior do que não lavar as mãos.)

D. Leia Mateus 15:12. Você fica ofendido com a idéia de que aquilo que entra em sua boca não o torna impuro? 

E. Leia Mateus 15:13-20. Como você entende a mensagem de Jesus - Ele estava falando apenas sobre o lavar das mãos? (Parece que Sua mensagem era mais profunda. As coisas que comemos e bebemos são como o lavar das mãos, uma questão de viver melhor. Elas refletem boas idéias. No entanto, aquilo que falamos reflete o que pensamos e, na mente encontramos a verdadeira batalha sobre o pecado.) 

V. Os Gentios

A. Leia Mateus 15:22-27. Como você explica Jesus ter comparado aquela pobre mulher com um “cachorro”? (Leia Mateus 15:28. Jesus a testou.)

B. Releia Mateus 14:36. Isso foi apropriado? Todos os que tocavam Jesus foram curados. Para ter sucesso, aquela mulher suportou insultos, para que seu filho fosse curado. O que estava acontecendo? (Acho que isso aconteceu para beneficio dos discípulos (veja Mateus 15:23). Jesus quis mostrar que os gentios podiam ter grande fé. Aprenda uma lição com isso, para aqueles momentos em que Deus parece resistir em ajudá-lo.)

C. Amigo, vemos que Jesus tomou decisões, para ajudar e curar que, às vezes, são difíceis de entender. Você vai decidir hoje, pelo poder do Espírito Santo, a confiar  somente em Deus?

VI. Na próxima semana: “Pedro e a Rocha”

Tradução: Denise de Mesquita

**********************************

Direito de Cópia de 2016, por Bruce N. Cameron, J.D. Todas as referências das Escrituras são da Bíblia de Estudo na Nova Versão Internacional (NVI), editada em 2003 pela Editora Vida – São Paulo, a menos que indicado de outra forma. As citações da NVI são usadas com permissão. As respostas sugeridas encontram-se entre parênteses. As frases entre chaves { } foram acrescentadas pelo tradutor e não constam no original. Ore pela direção do Espírito Santo enquanto estuda.

Se você costuma receber esses comentários por e-mail mas, em alguma semana, houve  falha ou extravio do recebimento, você poderá encontrá-los clicando neste link: 

Estes comentários referem-se às Lições da Escola Sabatina, publicadas em Português pela Casa Publicadora Brasileira, cujo original pode ser encontrado semanalmente em "http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2016.html


**********************************