sábado, 1 de agosto de 2015

Lição 6 - Ester e Mordecai

(Ester 1-8) 
Introdução: Sua vida, provavelmente, não está centrada em um grande acontecimento, no qual você pode intensificar ou parar um holocausto. É mais provável que sua vida seja uma série de pequenas decisões sobre o certo e o errado. Será que o modo como você toma decisões, nas pequenas coisas da vida, revela como você agiria, para tomar grandes decisões? Se você falhar ao tomar pequenas decisões, será muito mais pressionado nas decisões mais difíceis? Vamos estudar a fundo a história de Ester e olhar para essa história familiar de uma maneira um pouco diferente!

I. Os Antecedentes

A. Leia Ester 1:1-5. Qual era a extensão do reino de Xerxes? (“O Reino de Cuxe” era a parte norte do Egito assim, ele governava da ĺndia até o Egito!)

1. Xerxes era apenas o “rei da festa”? Ou, você acha que aquela festa tinha outros objetivos? (Foi uma grande festa mas, eu aposto que Xerxes lançou-se, em parte, para se fortalecer como governante, consultando, cara-a-cara, com líderes que não via com muita frequência. Ele reafirmou que ele era o governante.)

B. Leia Ester 1:6-8. Quão sóbrio estava esse grupo? (Você podia beber tanto quanto quisesse - era tudo de graça!)

II. Vasti

A. Leia Ester 1:9. O que esse versículo diz sobre o papel das mulheres no reino de Xerxes?

B. Leia Ester 1:10-12. Qual era o estado de sobriedade do rei? (Ele estava em “alto astral”. Meu palpite é que todos os homens tinham bebido muito vinho.)

1. O que a rainha deveria vestir? (Sua coroa real. Lembre-se que Xerxes tinha mostrado seus bens e, naquela hora, ele queria mostrar sua esposa, usando a coroa real.)

2. O que mais ela deveria vestir? (O comentarista bíblico Adam Clark relatou que o Targum acrescentou que, além de sua coroa, ela deveria estar nua. Outros comentaristas não concordam. O texto diz que o rei queria “mostrar sua beleza”. A rainha Vasti entendia que desobediência era um problema sério, mas, mesmo assim, ela desobedeceu. A maior parte dos comentaristas sugerem que ela não queria desfilar diante de um grupo de homens. Note que, naquele momento, a multidão incluía homens comuns. Plebeus bêbados podiam ser o problema. Seja qual for a verdadeira situação, parece que Vasti pensava que ela seria, de alguma forma, humilhada.){NT:Targum - nome dado às traduções de frases e comentários da Bíblia hebraica, para o aramaico, utilizadas para facilitar o entendimento aos judeus que falavam apenas o aramaico e não tinham o hebraico, como língua materna.}

C. Leia Ester 1:13-15. Qual era o verdadeiro problema de Xerxes? (Ele estava dando a festa, em grande parte, para mostrar seu poder e autoridade. Naquele momento sua esposa não o obedeceu!)

D. Leia Ester 1:19-22. O que o texto fala sobre os homens? Qualquer pessoa, mesmo os homens, achavam que “todas as mulheres [agora] respeitarão seus maridos”? (Meu palpite é que se Xerxes quisesse que Vasti aparecesse usando apenas sua coroa, ela seria, naquela hora, a heroína de todas as mulheres e o respeito pelos homens não cresceria, pelo contrário, diminuiria.)

III. Ester

A. Leia Ester 2:2-7. Como Mordecai se parecia com Daniel e seus amigos? (Eles foram levados cativos de Jerusalém.)

1. Que tipo de vida Ester havia levado até aquele momento? (Seus pais haviam morrido. Ela era filha de exilados.  Não soa como uma bela vida.)

B. Leia Ester 2:8-10. Note que a ela, assim como a Daniel, foi providenciada “comida especial”. Ester e Mordecai tinham os mesmos padrões elevados de Daniel?

1. Por que Mordecai tinha proibido que ela revelasse que era judia?

2. Se Ester, assim como Daniel, assumisse uma posição contra a alimentação, isso revelaria que ela era judia?

3. Foi bom ela ter seguido o conselho de Mordecai?

C. Leia Ester 2:12 e Ester 2:15-17. Ester estava pecando por se deitar com o rei? (Ester não criou o sistema. Quando ela se deitou com o rei, ela tornou-se sua esposa (ou, no mínimo, sua concubina). Se as coisas ocorressem para ela, do mesmo modo que para a maioria das outras, ela nunca mais veria o rei, novamente, e aquela órfã apenas viveria sua vida no harém.)

1. Ao invés de ser concubina, o que aconteceu com Ester? (Ela foi coroada rainha!)

D. Leia Ester 2:20. Por que a história continuou mencionando isso? Ester estava vivendo uma mentira? (Xerxes não casou com ela baseando-se em seu contexto familiar. Parece que esse assunto não veio à tona, e o rei não se interessou por ele. Ester respeitou o conselho do homem que a adotou como sua filha.)

IV. A Conspiração

A. Leia Ester 2:21-23. Ester falou em nome de  Mordecai. Isso a teria ajudado a levar o crédito? 

B. Leia Ester 3:1-2. Por que Mordecai se recusou? (Leia Ester 3:3-4. A resposta de Mordecai foi que ele era judeu - assim, ele tinha razões religiosas para não se curvar diante de Hamã.)

1. Leia Êxodo 20:4-5. Essa era a regra aplicável?

2. Lembra-se quando estudamos sobre Naamã, há três semanas? Leia 2 Reis 5:18-19. Por que estava correto para Naamã mas, não, para Mordecai?

3. Leia Romanos 14:22-23. Se você tiver tempo, leia o capítulo inteiro de Romanos 14. Quando estivermos diante de “assuntos controvertidos” (Romanos 14:1), a Bíblia nos diz que nossa consciência será nosso guia.)

a. Foi por isto que Daniel se opôs a sua comida mas, Ester, não?

b. Curvar-se diante de Hamã era um “assunto controvertido”? (Hamã não era um deus. Temos Naamã curvando-se para alguém que era, claramente, um deus, portanto, no caso de Mordecai, pareceu um assunto controvertido.)

C. Leia Ester 3:5-6. Que tipo de homem era  Hamã?

D. Leia Ester 3:8-11. O orgulho de Hamã tinha um preço - 350 toneladas de prata. Por que o rei lhe diria para ficar com seu dinheiro? (Xerxes confiava em Hamã, achando que ele estava fazendo a coisa certa.)

1. Se Ester não tivesse mantido silêncio,   quanto a ser judia, essa crise teria surgido?

a. Se ela tivesse permanecido firme sobre a alimentação, ela teria evitado esse grande conflito?

E. Leia Ester 3:12-14. Hamã teve dificuldades para levar as pessoas a matar os judeus, no dia marcado? (Você consegue manter o que lhe pertence! Isso é aprovar, oficialmente, a anarquia! Dia de atentados! Agora sabemos  porque Hamã pode ficar com sua prata.)

F. Leia Ester 4:1-3. Quem foi o responsável  pela destruição que estava vindo sobre o povo judeu?

1. Discutimos sobre a instrução de Mordecai para Ester esconder que ela era judia. Se sua decisão de recusar-se a ceder a Hamã fosse “controvertida”, Mordecai teria matado seu povo sem uma boa razão?

V. A Salvação

A. Leia Ester 4:5-11. O que preocupava Ester?

B. Leia Ester 4:12-14. Quais foram os argumentos de Mordecai e o que você pensa sobre eles? (Seu primeiro argumento foi que ela morreria, de qualquer maneira. Seu segundo argumento foi que aquela crise era o motivo pelo qual Deus fez dela uma rainha. Gosto muito mais do segundo argumento.)

1. Uma vez que Mordecai disse para Ester manter sua raça em segredo, o primeiro argumento era uma ameaça válida? 

C. Leia Ester 4:15-16. Chegamos, agora, ao momento em que Ester começou a dar instruções a Mordecai e, não, o contrário. Qual foi sua resposta para aquela crise? (Oração e jejum.)

D. Leia Ester 5:1-8. Diga-me o que você acha que estava passando pela mente de Xerxes? Sua nova rainha estava arriscando sua vida  para pedir-lhe para jantar e, a essa altura, ela não lhe disse qual era sua necessidade.

E. Leia Ester 5:9-14. Será que devemos sempre seguir os conselhos de nossas esposas?

F. Em Ester 6:1-5 Xerxes estava lembrando que Mordecai salvou sua vida e não havia sido recompensado. Vamos continuar lendo Ester 6:6-12. Naquela manhã, nada saiu como o esperado! Você já teve dias como aquele?

G. Leia Ester 6:12-14. Zeres e seus conselheiros sabiam que Mordecai era judeu. Como você explica esse medo? (O Espírito Santo estava  falando a eles.)

H. Leia Ester 7:3-9, Ester 8:3-4, Ester 8:7-8 e Ester 8:11. É assim que o mundo, supostamente, funciona?  Como chegamos a esse ponto? (Ester mostrou coragem, orou e Deus deu a ela um grande plano.)

I. Leia Ester 8:16-17. Isso foi um esforço missionário? 

1. O que você pensa do motivo da conversão? 

J. Amigo, para mim parece possível que, se Ester agisse como Daniel, a maior crise teria sido evitada. Aqui está a boa notícia: Ester tomou a decisão certa, quando as vidas de milhares estavam em jogo. Deus honrou isso e protegeu Seu povo. Você vai se decidir, hoje, a seguir a vontade de Deus, mesmo que você não tenha obedecido a Ele no passado? 

VI. Na próxima semana: “Jesus: o Mestre das Missões”

Tradução: Denise de Mesquita

**********************************

Direito de Cópia de 2015, por Bruce N. Cameron, J.D. Todas as referências das Escrituras são da Bíblia de Estudo na Nova Versão Internacional (NVI), editada em 2003 pela Editora Vida – São Paulo, a menos que indicado de outra forma. As citações da NVI são usadas com permissão. As respostas sugeridas encontram-se entre parênteses. As frases entre chaves { } foram acrescentadas pelo tradutor e não constam no original. Ore pela direção do Espírito Santo enquanto estuda.

Estes comentários referem-se às Lições da Escola Sabatina, publicadas em Português pela Casa Publicadora Brasileira, cujo original pode ser encontrado semanalmente em "http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2015.html"


**********************************

sábado, 25 de julho de 2015

Lição 05 - Exilados Que Se Tornaram Missionários

(Isaías 39, Daniel 1-2) 
Introdução: Há duas semanas, discutimos sobre a menina escrava israelita, na casa de Naamã. Que incrível aventura missionária ela começou! Nesta semana, vamos considerar mais prisioneiros, desta vez em Jerusalém. Suas vidas foram viradas de cabeça para baixo. Mas, ao invés de culpar Deus, eles decidiram ser fiéis, e mudaram o mundo. Vamos mergulhar em nosso estudo bíblico e aprender mais!

I. O Começo do Problema

A. Leia Isaías 39:3-4. Por que o rei Ezequias mostrou seus tesouros para aqueles visitantes?

B. Leia Isaías 39:5-7. Essa profecia seria um castigo por causa do pecado? (Leia 2 Crônicas 32:25-26. Isso revela que o pecado de Ezequias era o orgulho. A destruição que veio sobre seu povo, depois de sua morte, foi castigo pelo pecado do orgulho.)

C. Leia Isaías 39:8. O que você acha dessa resposta? O que você pensa sobre a natureza do castigo? (Tudo isso era preocupante. Ezequias parecia não se importar que seus descendentes estivessem sendo prejudicados. Por que Deus puniria alguém que não era responsável pelos pecados de Ezequias? A resposta é que lemos apenas uma parte da história. A promessa da destruição não chegou em 150 anos e os descendentes de Ezequias fizeram coisas em abundância, que mereceram julgamento.)

D. Leia Daniel 1:1-2. Como expressar isso para alguém que está tentando descobrir quem é o verdadeiro Deus? (Os utensílios do templo do verdadeiro Deus foram levados para o templo do deus da Babilônia. Soa como nosso Deus ter sido extraviado.)

E. Leia Daniel 1:3-5. Quais você acha que eram os objetivos dos babilônios com isso? Como você se sentiria se fosse um dos selecionados para esse programa especial?

II. Testemunho com o Alimento

A. Leia Daniel 1:6-8. Sem dúvidas essa foi a melhor degustação de alimentos. Qual foi a objeção de Daniel? (Comer daqueles alimentos criaria conflitos para lidar com a lei sobre carnes impuras, de animais que não tiveram o sangue drenado, e que tinham sido oferecidas, junto com bebidas, aos falsos deuses. Veja, por exemplo, Levítico 7 e 11. “Impureza” nos diz que aquilo se tratava da crença religiosa de Daniel.)

B. Leia Daniel 1:11-14. Por que vegetais e água? 

C. Leia Daniel 10:2-3. Esse texto nos diz que, mais tarde, Daniel escolheu comer “comida especial”, que incluía carne e vinho. Daniel tornou-se menos fiel em sua velhice? (Não. Mais tarde, a razão para que Daniel se engajasse a “jejuar” por três semanas, é que Deus lhe deu algumas mensagens muitos importantes e preocupantes. Posteriormente, Daniel tornou-se um homem importante. Sem dúvida, ele poderia, a partir de então, controlar a maneira como sua comida seria preparada, para que ela estivesse em conformidade com a palavra de Deus.)

D. Leia Daniel 1:9-10 e Daniel 1:15-16. Isso seria resultado de uma dieta vegetariana? (Tenho sido vegetariano há mais de cinquenta anos e acredito que sou mais saudável do que muitas pessoas. Mas, uma mudança em dez dias tem que ser resultado da intervenção de Deus.)

1. E quanto aos prisioneiros? O que eles teriam decidido sobre essa questão?

E. Leia Daniel 1:17. Qual foi o resultado da fidelidade de Daniel e seus amigos? (Deus os abençoou!)

F. Leia Daniel 1:18-20. Esse foi o fim de um tipo de período probatório. Enquanto muitos estariam culpando Deus por seu cativeiro, qual foi o resultado da fidelidade? Seria dez vezes melhor para você?

1. Qual foi o impacto nos inimigos daqueles jovens? (Eles perceberam que existia alguma coisa diferente neles.)

III. Testemunho com Sonhos

A. Leia Daniel 2:1-5. Você gostaria de ter Nabucodonosor como seu chefe?

1. Ele era, realmente, genioso, ou você acha que existe algo mais nessa história? (Leia Daniel 2:9. O rei achava que se eles pudessem recitar o sonho, ele poderia confiar em sua interpretação. Lembre-se que Daniel 1:20 nos informa que os novos recrutados, Daniel e seus amigos, foram “dez vezes melhor” do que os mágicos e encantadores existentes. Talvez os encantadores não fossem tão encantadores assim.)

B. Leia Daniel 2:10-12. Você acha que aqueles encantadores já haviam invocado seus deuses, no passado?

1. Que defesa eles construíram? (Historicamente, isso não foi uma parte da descrição do seu trabalho. Eles não eram deus.)

C. Leia Daniel 2:13-15. Qual teria sido sua defesa? (“Não fui eu quem falhou com o rei! Por que você vai me matar?”)

1. Arioque tinha autoridade para matar Daniel, no local. O que a resposta de Daniel nos ensina, quando estamos em dificuldades? (Ele falou com sabedoria e bom senso.)

D. Leia Daniel 2:16. Compare com Daniel 2:7-9. O que era mais perturbador no pedido de Daniel? (O rei achava que os encantadores estavam tentando ganhar tempo. Daniel pediu mais tempo. Note que Daniel pediu mais tempo para “interpretar o sonho”, em oposição a recitar o sonho.)

E. Leia Daniel 2:17-19. Qual foi a chave para sair de uma situação de risco de vida? (A oração.)

F. Leia Daniel 2:24. Você teria dito para Arioque não executar os encantadores?

1. Qual seria a vantagem de Daniel se eles tivessem morrido?

G. Leia Daniel 2:25. Arioque estava reivindicando o crédito por isso? (Provavelmente. Mas, lembre-se que ele não estava obedecendo ao rei. Ao dizer que ele encontrou alguém que podia interpretar o sonho, achou uma maneira de escapar do dilema de executar os encantadores.)

H. Leia Daniel 2:26-27. Você teria começado sua apresentação para o rei dessa maneira? (Essa introdução, provavelmente, deixou o rei furioso. Felizmente, Daniel, rapidamente, aprendeu a linguagem certa. Vamos ler sobre isso, a seguir.)

I. Leia Daniel 2:28-30. Compare a declaração de Daniel, com a de Arioque (Daniel 2:25). (Daniel deu toda glória a Deus. Quando você lê isso e pensa como Daniel salvou os encantadores, entende que ele exibiu modéstia e amor.)

1. Estes são atributos chave para ser um missionário?

J. Leia, rapidamente, Daniel 2:31-44 e leia Daniel 2:45-47. O que Daniel fez? (Ao voltar-se para Deus no momento da dificuldade, ao dar todo o crédito a Deus, não tomando nenhum para si mesmo, Daniel tanto educou, quanto condenou Nabucodonosor, sobre a verdade do grande Deus do céu.)

1. Isso pareceu ser um monte de preocupação e estresse sobre um sonho. Isso se justifica? E se Daniel tivesse estado na presença do rei, quando ele mencionou o sonho na primeira vez, e lhe tivesse dito que Deus o interpretaria? Nem dramas, nem ameaças estariam envolvidos. (Essa é uma das mais importantes profecias que delineiam a história do mundo, do início ao fim, até a segunda Vinda de Jesus. Todo o drama chamou a atenção para sua importância.)

K. Leia Daniel 2:48. Note que por tudo isso, Daniel deu todo crédito a Deus, e manteve-se muito modesto, quanto aos seus próprios talentos. Veja Daniel 2:30, quando ele disse que a interpretação não veio porque ele tinha “mais sabedoria do que os outros homens”. Como esta modéstia funcionou para Daniel? (A ele foi dada extraordinária autoridade e poder.) 

1. Como devemos aplicar isto, diariamente, em nossa vidas?

2. Você já viu boxeadores ou estrelas do esporte darem glória a Deus quando batem seus oponentes? Como você reage a isso?

3. Se você dissesse para seu chefe, ou para seus colegas de trabalho, que uma grande idéia que você teve foi-lhe dada por Deus, isto seria um bom ou mau testemunho? (Leia Mateus 7:6. Nabucodonosor e seus encantadores estavam esperando um “deus” solução. Daniel apontou-lhes o verdadeiro Deus. Acho que precisamos ser perspicazes quanto a isso, em nosso trabalho secular. Se alguém estiver aberto à aprendizagem  sobre Deus, precisamos compartilhar. Modéstia sempre   é uma boa idéia. O melhor caminho é buscar a sabedoria do Espírito Santo, para saber quando e para quem testemunhar.)

L. Amigo, é improvável que suas típicas horas de intensas dificuldades envolvam autoridades que querem tirar sua vida mas, seja qual for o problema, precisamos buscar ajuda de Deus. Quando Ele ajuda, precisamos dar-Lhe os créditos. Você vai decidir fazer isto, hoje?

IV. Na próxima semana: “Ester e Mordecai”

Tradução: Denise de Mesquita

**********************************

Direito de Cópia de 2015, por Bruce N. Cameron, J.D. Todas as referências das Escrituras são da Bíblia de Estudo na Nova Versão Internacional (NVI), editada em 2003 pela Editora Vida – São Paulo, a menos que indicado de outra forma. As citações da NVI são usadas com permissão. As respostas sugeridas encontram-se entre parênteses. As frases entre chaves { } foram acrescentadas pelo tradutor e não constam no original. Ore pela direção do Espírito Santo enquanto estuda.

Estes comentários referem-se às Lições da Escola Sabatina, publicadas em Português pela Casa Publicadora Brasileira, cujo original pode ser encontrado semanalmente em "http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2015.html"


**********************************

sexta-feira, 17 de julho de 2015

Lição 04 – A Saga de Jonas

(Jonas 1-4) 
Introdução: O que você prefere fazer: prever o sucesso militar do seu país ou ajudar o inimigo do seu país? A menos que você não goste de seu país, a resposta é fácil. Pense em quão popular você seria, prevendo o sucesso e, quão impopular, se ajudasse o inimigo. Essas perguntas nos dão uma visão do nosso estudo desta semana, sobre o profeta Jonas. 2 Reis 14:25 nos ensina que Jonas previu o sucesso militar para Israel. Sem dúvida, ele foi um herói nacional. Então, Deus foi a ele com um ministério missionário diferente. Vamos mergulhar em nosso estudo bíblico e aprender mais!

I. A Missão

A. Leia Jonas 1:1-2. Isso não soa tão ruim do ponto de vista de um patriota, não é mesmo? Clamar contra os inimigos do seu país!

1. Qual era o probleminha? (Jonas recebeu instrução para ir até Nínive e pregar contra ela. Não fique em casa, em Israel, e pregue contra Nínive.)

B. Leia Jonas 1:3.  Por que você acha que Jonas fugiu?

II. A Tempestade

A. Leia Jonas 1:4-6. Como explicar um sono tão profundo assim? A tempestade era tão violenta que o navio poderia quebrar-se, mas Jonas foi capaz de permanecer dormindo! (Acho que isso refletiu o profundo estresse que ele experimentou, ao tomar a decisão de fugir. No momento, ele estava esgotado.)

B. Leia Jonas 1:7-9. Aqueles marinheiros eram religiosos? (Sim. Eles acreditavam em muitos deuses e ,não, no acaso.)

1. Qual era o estado da fé de Jonas? (Ele ainda acreditava em Deus, mesmo que estivesse, naquela hora, se rebelando contra Ele.)

C. Leia Jonas 1:10-12. Qual você acha que era o objetivo de Deus nisso? Matar Jonas? Impedi-lo?

1. O que aconteceu com o livre-arbítrio que discutimos na primeira lição? Lembra-se das duas árvores, da arquitetura alternativa e dos fatores de canal? (Esse era um enorme fator de canal!)

D. Leia Jonas 1:13-14. O que os marinheiros achavam que aconteceria a Jonas, se eles o jogassem no mar? (Que ele morreria.)

1. Os marinheiros estavam certos sobre quem seria, moralmente, responsável pela morte de Jonas?

2. Eles estavam limitando Deus? Fazendo suposições a respeito de Deus?

3. Você teria uma atitude tão generosa com relação a Jonas, se você tivesse acabado de perder sua carga?

E. Leia Jonas 1:15-16. Jonas foi um missionário involuntário? (Sim! Ele conseguiu converter os marinheiros do barco.)

III. O Peixe

A. Leia Jonas 1:17 e Jonas 2:5. Se Jonas fugiu por causa do medo, imagine ser atirado na água e ser engolido por um grande peixe? Ajudaria ter algas marinhas enroladas em sua cabeça? (Isso tinha que ser aterrorizante.)

B. Leia Jonas 2:1-2. Quão desesperadora era a situação de Jonas? (Ele pensava que estava clamando do inferno, do “ventre da morte”.)

1. Quando eu era jovem me diziam que seu eu não obedecesse a Deus, Ele não ouviria minha orações. O que a oração de Jonas nos ensina? (Mesmo que Jonas estivesse sendo rebelde, Deus não só o ouviu como, também, respondeu!)

C. A oração de Jonas, em Jonas 2:3-9, vai do pensamento de que ele morreria, ao otimismo de fazer um novo voto para seguir a Deus. Se você fosse Jonas, iria querer que Deus apoiasse sobre você a dificuldade de fazer a escolha certa?

D. Leia Jonas 2:10. O que resultou da oração de Jonas e sua mudança no coração? (Ele foi libertado do peixe, que o havia libertado da tempestade.)

IV. Nínive

A. Leia Jonas 3:1-3. Nínive era uma atração turística? Demorava-se três dias para ver todos os museus e percorrê-la toda? (Vários comentaristas dizem que Nínive tinha 60 milhas {96,56 km} de circunferência. Eram três dias para passear ao redor dela.)

B. Leia Jonas 3:4. Como você se sentiria se fosse Jonas? Você era um alienígena, numa enorme cidade, levando o incrível aviso de que eles seriam destruídos!

1. Quando estudei essa história antes, aprendi que existiam razões para Jonas temer. Os assírios (que viviam em Nínive) eram pessoas más. Eles atiravam as pessoas sobre colunas pontiagudas. Eles colocavam pessoas vivas dentro de paredes e as lacravam. O que você preferiria: ser engolido por um peixe ou descartado sobre uma coluna afiada?

C. Leia Jonas 3:5-6. Como você explica isso? ( Poder do Espírito Santo!)

1. Lembra-se da pergunta sobre escolher entre o peixe e o cravo? O que esse resultado nos ensina? (Nós não precisamos escolher. Nós podemos confiar em Deus para sermos fiéis.)

D. Leia Jonas 3:7-9. Qual foi o resultado de Jonas ter cooperado com o fabuloso Deus do céu? (As pessoas daquela grande cidade converteram-se a Deus! Pense não apenas no impacto espiritual, mas no impacto político. Os assírios foram super poderosos na sua época. Eles tinham uma péssima reputação. Naquele momento, se tornaram seguidores de Deus!)

E. Leia Jonas 3:10. O que isso nos ensina sobre o caráter de Deus?

V. Um Profeta Infeliz

A. Leia Jonas 4:1-2. Jonas era o profeta ideal? Jonas e Deus estavam na mesma página, quando se tratou do amor de Deus?

1. Você acha que Jonas estava mentindo sobre sua razão de fugir para Társis?

2. Por que o amor e a compaixão de Deus foram uma razão para fugir? (Jonas lhes disse que a destruição viria sobre eles em quarenta dias. Se isso não fosse acontecer, faria parecer que Jonas era um falso profeta.)

3. Suponha que você fosse Jonas e estivesse dizendo a verdade. Olhe, novamente, Jonas 3:4. Como você poderia declarar isso e evitar o problema de ser uma falso profeta? (Quarenta dias deu às pessoas a oportunidade de se arrependerem – e foi o que elas fizeram. Jonas podia ter acrescentado o aviso óbvio de que seria necessário que elas se arrependessem.)

B. Leia Jonas 4:3-4 e releia Jonas 2:2. Você acha que Jonas estava dizendo a verdade sobre o desejo de querer morrer? Ele tinha acabado de pedir para Deus poupar sua vida, quando estava dentro do peixe! (Nos Estados Unidos chamaríamos Jonas de “rainha do drama” – alguém que é, excessivamente, dramático.)

1. Como Deus reagiu à rainha do drama? (Deus foi gentil e sensato com ele.)

C. Leia Jonas 4:5. Qual foi a expectativa de Jonas, quando ele quis “ver o que aconteceria com a cidade”? (Ele, ainda, estava esperando Deus destruí-la!)

D. Leia Jonas 4:6-9. O que você acha do caráter de Jonas?

E. Leia Jonas 4:10-11. O que esse texto diz sobre o sistema educacional em Nínive? Quer dizer que 120.000 pessoas não aprenderam a distinguir uma mão da outra? (Essa é uma referência às pessoas que são tão jovens, a ponto de Deus não responsabilizá-las pelo pecado. Nínive tinha muitos jovens.)

1. Será que Deus se importa com os animais? (Sim. Acho que o ponto para Deus é que um animal era mais importante do que a vinha de Jonas.)

2. Por que Jonas estava mais preocupado com uma planta e, não, com as pessoas e os animais? (Por que a planta estava dando a Jonas algo bom. Ela fornecia sombra para ele. Vemos que Jonas era egoísta.)

F. Você escolheria Jonas para ser seu amigo? 

1. Por que Deus o escolheu para ser Seu profeta?

2. Por que Deus correu atrás de Jonas?

3. Por que Deus Se envolveu com Jonas, embora Jonas estivesse sendo petulante?  Uma rainha dramática egoísta? Uma pessoa sem amor?

G. Considere isso por um momento. Jonas carecia de inteligência emocional. Ele era egoísta. Ele tinha um caráter defeituoso. A História registra que os assírios, em Nínive, eram maus. O que isso nos diz sobre nosso Deus? (Ele nos ama e nos persegue, mesmo quando fazemos coisas terríveis.)

H. Amigo, Deus quer você! Deus quer você, apesar dos seus defeitos! Por que não escolher, agora mesmo, seguir o Deus, que mostra uma incrível quantidade de paciência e amor?

VI. Na próxima semana: “Exilados que se tornaram Missionários” 

Tradução: Denise de Mesquita

**********************************

Direito de Cópia de 2015, por Bruce N. Cameron, J.D. Todas as referências das Escrituras são da Bíblia de Estudo na Nova Versão Internacional (NVI), editada em 2003 pela Editora Vida – São Paulo, a menos que indicado de outra forma. As citações da NVI são usadas com permissão. As respostas sugeridas encontram-se entre parênteses. As frases entre chaves { } foram acrescentadas pelo tradutor e não constam no original. Ore pela direção do Espírito Santo enquanto estuda.

Estes comentários referem-se às Lições da Escola Sabatina, publicadas em Português pela Casa Publicadora Brasileira, cujo original pode ser encontrado semanalmente em "http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2015.html"


**********************************

domingo, 12 de julho de 2015

Lição 03 - A Missionária Inesperada

(2 Reis 5) 
Introdução: Quando você pensa sobre seu futuro, o que você quer que aconteça? Você quer que aconteçam coisas boas! Boa saúde, bons empregos, bons relacionamentos são coisas que queremos. Para alguns, esperança é ainda mais básico: basta alimentar-se, ter liberdade de expressão, liberdade para trabalhar e liberdade de religião. Ao invés disto, quando coisas ruins acontecem, às vezes, temos dificuldades para entender como um Deus amoroso pode permitir que elas aconteçam. João 9:1-3 registrou a conversa acerca de um cego. Jesus explicou que ele era cego “para que a obra de Deus se manifestasse na vida dele”. Quando encaramos tempos difíceis, eles apresentam uma oportunidade para Deus. Vamos pular para dentro de nossas Bíblias e aprender mais sobre essa idéia intrigante!

I. Naamã e a Menina

A. Leia 2 Reis 5:1. Quem foi responsável pelo sucesso de Naamã? (Deus lhe havia dado sucesso militar.)

B. Leia 2 Reis 5:2. Por que aquela menina foi levada cativa? Não foi resultado das bençãos de Deus sobre Naamã?

1. Se aquela menina era de Israel, Deus havia dado a Naamã a vitória sobre Israel? (Na verdade, não foi esse o caso. Arã (Síria) resistiu, com sucesso, aos assírios - a nação peso pesado da região. A Síria se engajou em ataques contra Israel, mas não conseguiu conquistá-la.)

2. O que você pensaria do seu Deus, se parecesse que as bençãos sobre Naamã foram possíveis porque você foi levado cativo?

C. Você gostaria de ser Naamã? (Ele foi um alto líder no país, seu chefe o admirava, o povo o amava e ele era corajoso e bem sucedido.  Porém, ele tinha uma terrível doença: lepra.)

D. Leia 2 Reis 5:3-4. Que tipo de atitude aquela menina teve com relação a seu captor? Você teria uma atitude semelhante?

1. Quantos conselhos você acha que Naamã recebia de jovens escravas?

2. Note que o conselho da menina escrava foi levado, inteiramente, até o rei! Como você explica isso? (Naamã estava desesperado! Caso contrário, isso não faria sentido.)

E. Leia 2 Reis 5:5. Por que o rei de Arã e Naamã enviariam ouro e prata, se eles governavam Israel? (Isso confirma que Arã não governava Israel. Eles podiam ser o país dominante, mas não tinham o controle.)

II. Rei de Israel

A. Leia 2 Reis 5:6-7. Compare o pensamento da menina escravizada por Naamã, com o pensamento do rei de Israel. (O rei estava considerando, apenas, sua própria capacidade!)

1. Você conduz problemas difíceis do mesmo jeito que o rei de Israel?

2. A pequena escrava foi uma missionária para Deus.Se quisermos ser missionários de Deus, qual deve ser nossa primeira reação, para qualquer situação na vida?

B. Leia 2 Reis 5:8. Você teria redigido a mensagem de Eliseu da mesma forma?

1. Compare o texto encontrado em 2 Reis 5:3? (Deus estava dirigindo a escrita dessa história. Embora me incomode que a seta da atenção estivesse apontando para o profeta, ao invés de apontar para Deus, talvez isso estava refletindo a vontade de Deus. Talvez seja minha compreensão deficiente sobre o que estava sendo dito.)

III. Orgulho

A. Leia 2 Reis 5:9-12. Naamã tinha um ponto de vista razoável?

1. Leia Romanos 13:7. Naamã tinha uma carta do rei de Arã. O rei de Israel, também, o havia enviado a Eliseu. Além disso, Naamã era um homem importante. Por que Eliseu o esnobou e se recusou a mostrar-lhe honra?

2. Vamos reconsiderar algo que discutimos antes. Eu achava que Deus deveria ter sido o foco central e, não, Eliseu, o profeta de Deus. Mas, se o ponto da história é que eles eram vistos como uma unidade - o profeta de Deus é o representante de Deus - então, faz sentido que “Deus” não precisava ter saído para saudar um mero homem.)

3. Alguma vez seu orgulho o impediu de receber uma benção?

B. Leia 2 Reis 5:13-14. Quem falou essas coisas razoáveis para Naamã? O que isso nos ensina sobre Naamã? (Naamã era um homem orgulhoso - e podemos entender porquê. Mas, isto refletiu um padrão em sua vida: ele estava disposto a aceitar conselhos de quem estava “abaixo” dele. Lembre-se que ele começou essa aventura porque estava disposto a aceitar o conselho de uma menina escrava.)

C. Veja, novamente, 2 Reis 5:11. Será que isso teria funcionado se Deus tivesse decidido  aproximar-Se, como Naamã queria? (É claro!)

1. Se isso tivesse sido feito à maneira de Naamã, haveria sido acrescentado o benefício de colocar o foco em Deus? (O comentarista Adam Clarke teve uma grande compreensão intuitiva. Clarke  observou que Naamã disse que ”estava certo que Eliseu sairia para receber-me” - com ênfase no “me.” Eliseu deveria ficar diante de Naamã (que estava em sua carruagem), para invocar Deus. Isso colocaria ambos, Eliseu e Deus, a serviço de Naamã. A cura seria feita do modo pelo qual Naamã achava apropriado.)

a. Quantas vezes você exigiu que Deus fizesse as coisas do seu jeito?

IV. Glória a Deus

A. Leia 2 Reis 5:15. Compare 2 Reis 5:9. O que mudou? (Naamã desceu de sua carruagem. Eliseu saiu para ver Naamã.)

1. Esse trabalho missionário funcionou? (Sim, e Deus e Eliseu não trataram Naamã gentilmente.)

a. Esta é uma lição para missões? Um Deus amoroso não é sempre um Deus gentil?

B. Leia 2 Reis 5:16. Compare 1 Timóteo 5:17-18. Se um trabalhador é digno do seu salário, porque Eliseu não pegou sua recompensa? (Lembra da minha preocupação sobre o foco estar no profeta e, não, em Deus? Esta é a afirmação mais clara sobre quem é responsável pela cura. Se Eliseu tivesse curado Naamã, então, ele teria recebido sua recompensa. Mas, o grande Deus no céu curou Naamã. Para Eliseu, levar a recompensa, seria tomar os créditos pelo trabalho de Deus.)

C. Leia 2 Reis 5:17. Como você explica esse estranho pedido? Por que Naamã precisava de terra? (Isso refletia o erro na teologia de Naamã. Ele achava que os deuses eram regionais - cada nação tinha seu próprio deus. Ele queria um pouco da terra de Israel, para que pudesse adorar o verdadeiro Deus, no solo de Israel.)

D. Leia 2 Reis 5:18-19. Você daria aprovação a Naamã para isso? Naamã explicou para Eliseu que seu trabalho exigia que ele se curvasse a um deus pagão. Constantemente, tenho clientes que se recusam a comprometer suas crenças religiosas por causa de uma exigência de trabalho!

1. Vamos discutir isto: Primeiro, Naamã tinha um claro equívoco teológico, que rebaixava a autoridade de Deus. Segundo, ele pediu permissão para pecar, no futuro. A resposta de Eliseu para estes dois sérios problemas foi “Vá em paz.” Por quê?

2. Existe um debate, já de longa data, quanto a sermos ou não corretos em batizar pessoas, antes delas conhecerem todas as “regras”. Se nós as batizarmos, sem explicar-lhes as regras, sempre haverá alguém rápido para corrigir o novo convertido. O que a resposta de Eliseu nos ensina sobre este assunto? 

3. Leia Lucas 23:40-43. Aquele camarada não perdeu, somente, as aulas de preparação para o batismo, ele perdeu o próprio batismo! Essa foi uma “única exceção”, por causa das circunstâncias? (A resposta para esta série de perguntas é que nós também, frequentemente, transgredimos a obra do Espírito Santo. Se alguém quiser ser batizado, devemos fazê-lo, sem criar todo o tipo de barreiras. Uma vez que a pessoa aceitou Jesus, como fez o ladrão na cruz, então o Espírito Santo deverá ser a força primária para convencer o pecador a fazer a vontade de Deus.)

a. Isso significa que não temos nenhuma função, para instruir os novos cristãos? (Leia Mateus 28:19-20. Temos, claramente, o papel de ensinar. No entanto, note que, mesmo na grande comissão de Jesus, Ele colocou o batismo antes dos ensinamentos.)

E. Quão importante testemunha você acha que Naamã deve ter sido, após o que aconteceu? (Ele era admirado pelo rei e amado pelas pessoas. Ele pode ter causado um enorme impacto para o avanço do Reino de Deus, em Arã.)

1. Como iniciou este glorioso resultado? (Com uma menina cativa.)

a. Se ela não tivesse sido presa, teríamos esse glorioso resultado?

F. Amigo, tempos difíceis podem criar oportunidades de grandes avanços para o Reino de Deus. Você vai pedir para o Espírito Santo mantê-lo alerta para essas oportunidades?

V. Na próxima semana: “A Saga de Jonas”

Tradução: Denise de Mesquita

**********************************

Direito de Cópia de 2015, por Bruce N. Cameron, J.D. Todas as referências das Escrituras são da Bíblia de Estudo na Nova Versão Internacional (NVI), editada em 2003 pela Editora Vida – São Paulo, a menos que indicado de outra forma. As citações da NVI são usadas com permissão. As respostas sugeridas encontram-se entre parênteses. As frases entre chaves { } foram acrescentadas pelo tradutor e não constam no original. Ore pela direção do Espírito Santo enquanto estuda.

Estes comentários referem-se às Lições da Escola Sabatina, publicadas em Português pela Casa Publicadora Brasileira, cujo original pode ser encontrado semanalmente em "http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2015.html"


**********************************